segunda-feira, maio 27, 2024
Destaque da Condsef

Semana de mobilização dos servidores começa com debate sobre arcabouço fiscal

A partir das 17h, professora e economista, Sofia Manzano, fala sobre arcabouço fiscal e os impactos nas políticas públicas e na valorização dos servidores e serviços públicos. Participe enviando comentários pelo chat

Essa semana será marcada por atividades de mobilização dos servidores federais em todo o Brasil por orçamento justo e contra a PEC 32/20, da reforma Administrativa. As atividades começam nesta segunda-feira, 2, a partir das 17h, com um debate sobre arcabouço fiscal e os impactos nas políticas públicas e na valorização dos servidores e serviços públicos, conduzido pela professora e economista Sofia Manzano. Haverá transmissão ao vivo pelo canal do Fonasefe no YouTube. Você pode participar enviando comentários pelo chat. A live enfrenta alguns problemas técnicos e deve entrar ao vivo dentro de instantes.

Já nesta terça, 3, tem Dia Nacional de Luta com atividades confirmadas em capitais de diversos estados. Em Brasília, um ato nacional unificado será realizado a partir das 10h, em frente ao Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), no bloco K da Esplanada dos Ministérios. Acompanhe a agenda em seu estado e participe da luta por recomposição salarial, reestruturação de carreiras, equiparação de benefícios, como o auxílio-alimentação, contrapartida do plano de saúde, e outros, além da revogação de atos antissindicais de Bolsonaro. Nas redes, a partir das 15h, tem twitaço utilizando a hashtag #NegociaMinistraEsther. Não deixe de participar!

No dia 4 tem vigília em frente ao MGI pela inclusão dos servidores no orçamento. Na quinta, 5, haverá trabalho de força tarefa e busca por uma audiência pública sobre PEC 32 no Congresso Nacional. No sábado, 7, está prevista uma nova plenária presencial dos servidores federais em Brasília onde estará em debate a possibilidade de greve no setor para buscar atendimento das pautas de reivindicação que ainda não avançaram.

Mobilizar para disputar o orçamento

Sem recomposição salarial assegurada para 2024, servidores públicos federais vão precisar intensificar de forma urgente o processo de mobilização para garantir um orçamento justo para o próximo ano. Um trabalho intenso no Congresso Nacional, junto à Comissão Mista de Orçamento, deve fazer parte desse processo, já que o governo, por meio do Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), informou ter apenas R$1,5 bilhão para todas as demandas, incluindo aumento salarial, benefícios, reestruturação de carreiras. 

A reconstrução do Estado brasileiro, um dos pilares deste governo, passa necessariamente por investir na recomposição do setor público. Com essa proposta orçamentária enviada ao Congresso Nacional, as promessas de reconstrução do Brasil e reforço da democracia serão impossíveis de serem cumpridas.

Vale lembrar que para o agronegócio foram disponsibilizados R$300 bilhões no orçamento. Já R$1,5 bi não será capaz de mudar o cenário político brasileiro com investimentos necessários em políticas públicas que vão garantir, de fato, os avanços que a população necessita. “Devemos ficar atentos e vamos construir um calendário de mobilização. O momento é de mobilizar para disputar o orçamento”, defendeu Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Condsef/Fenadsef.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *