domingo, julho 14, 2024
DESTAQUE

Servidores que não entraram com ação do DDT são convocados pelo Sindsef

Servidores da Ex-Sucam, redistribuídos para Funasa e Ministério da Saúde estão sendo novamente convocados para manifestar interesse de ingressar com ação judicial do DDT. A nova chamada do Sindsef-RO (Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Rondônia), por meio das Secretarias de Saúde e Assuntos Jurídicos, tem prazo até dia 31 de maio de 2024 e o objetivo de resguardar o direito aos servidores que não ingressaram com ação pelo sindicato ou com advogados particulares.

Os servidores que estão em dúvidas se entraram com ação ou até mesmo quanto a vigência do prazo de aceitação do exame de sangue realizado anteriormente, são convidados a entrar em contato com o Sindsef para verificação, segundo explica o diretor da Secretaria de Saúde, José Geltrudes Valério.

“A orientação é que na incerteza busquem o Sindsef para esclarecimentos. Mas, que não deixem de requerer na via judicial o direito a reparação da União pelos danos causados a saúde de centenas sucanzeiros que se encontram gravemente adoecidos por intoxicação do DDT e infelizmente apresenta números alarmantes de mortes precoces, enfatiza José Geltrudes.

DDT (Dicloro-Difenil-Tricloroetano) é um pesticida manuseado pelos servidores da ex-Sucam (Superintendência de Campanhas de Saúde Pública) e utilizado no combate à malária e outras endemias na Região Norte do país na década de 1990.

O presidente do Sindsef, Almir José Silva, destaca que o Sindsef tem intensificado a luta para que os servidores intoxicados tenham seus direitos asseguradas, tanto nos processos judiciais, como pela aprovação da PEC 101, buscando celeridade na tramitação na Câmara.

“Estamos buscando em todas as áreas, reivindicando apoio dos parlamentares e das autoridades com reuniões no Ministério da Saúde. Nossa luta não vai parar até que os sucanzeiros tenham justiça”, disse Almir José.

Em setembro do ano passado, o Sindsef proporcionou a coleta amostras de filiados que ainda não haviam ingressado com ação judicial nas 20 Coordenações Regionais e em Porto Velho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *